Supesp apresenta balanço do Proteger e do Sigo

2 de fevereiro de 2022 - 10:07 # # # #

A Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp) apresentou, nesta terça-feira (1º), balanço de resultados do Programa Estadual de Proteção Territorial e Gestão de Riscos (Proteger) e do Sistema de Georreferenciamento Operacional (Sigo). A apresentação aconteceu no gabinete da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS-CE) e contou com a participação do secretário executivo da SSPDS-CE, Samuel Elânio, do superintendente da Supesp, Helano Matos, do diretor de Estratégia de Segurança Pública (Diesp/Supesp), capitão Anderson Duarte, e do assessor I (Diesp), coronel Ricardo Catanho.

Na ocasião, foram apresentados os dados e indicadores do Proteger, como a redução de 60%, em média, dos índices de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI) e 35,12% nos Crimes Violentos Contra o Patrimônio (CVP), nos locais onde foram instaladas as bases do programa, além de ações que ajudam na prevenção de ocorrências de violência como o banco de dados com informações georreferenciadas com articulação com outras instituições como prefeituras, companhia de água e distribuidora de energia.

Também foram discutidos os resultados dos primeiros anos de implantação do programa como o quantitativo de drogas apreendidas, prisões em flagrantes realizadas, efetivo de policiamento treinado e mandados de prisão e apreensão cumpridos. Segundo o diretor da Diesp, capitão Anderson Duarte, todo o esforço do programa, voltado para o policiamento comunitário e de territorialidade, é inspirado em projetos bem sucedidos no Brasil e no exterior, que visam um estudo aprofundado de cada espaço em conflito para em seguida atuar com uma ação e/ou instituição específica.

Um dos próximos passos do programa é a realização dos encontros do Comitê Gestor para tomada de decisões estratégicas. Entre os membros das instituições que integram o comitê, estão representantes da Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE), da Polícia Militar do Ceará (PMCE), da própria Supesp, do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Ceará (CBMCE), da Academia Estadual de Segurança Pública (Aesp), da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), entre outros órgãos.

Sigo

Na sequência, o assessor I da Diesp, coronel Ricardo Catanho, apresentou o Sigo, sistema usado atualmente
pela Coordenadoria Integrada de Operações de Segurança (Ciops) da SSPDS-CE e aplicado em ocorrências do Corpo de Bombeiros. O sistema aperfeiçoou e agilizou o atendimento das ocorrências de incêndio na cidade de Fortaleza.

Desenvolvido em 2019, o sistema, de uso intuitivo, permite aos operadores da Ciops, elaborarem rotas otimizadas entre as unidades do Corpo de Bombeiros e os sinistros e entre os sinistros e os hidrantes circunvizinhos. Também é informado aos bombeiros, o poder operacional de cada unidade, calculando-se antecipadamente as dimensões das vias ao redor do local do sinistro, que comportam as viaturas de grande porte dos bombeiros, permitindo o melhor gerenciamento de cada ocorrência.

“Com isso, otimizamos o atendimento salvando mais vidas e resolvemos os problemas estratégicos que impediam o melhor serviço como a localização dos hidrantes urbanos e a correspondência entre o local de sinistro e Área Integrada de Segurança (AIS)”, explicou o coronel Catanho.

Para o secretário executivo da SSPDS, Samuel Elânio, foi muito importante conhecer mais a fundo os dois trabalhos desenvolvidos e coordenados pela Supesp. “O Proteger e o Sigo são duas formas de trabalho, por meio da territorialidade e da tecnologia, que são decisivos para a atividade das forças de segurança e seu êxito operacional. No caso do Sigo, já estamos aperfeiçoando o sistema para um combate mais eficiente nas ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros”, destacou.